Usuario :
Clave : 
 
 administrador
Manual del administrador


 Secciones
Ediciones anteriores
Premios- Distinciones
Muestras/Arte
Entrevistas- noticias culturales-histórico
Lecturas
Ensayos - Crónicas
Educación/Universidad
Sociedad
Diseño/Moda/Tendencias
Fotografía
La editora
Medios
Sitios y publicaciones web
Narrativa policial: cuentos, ensayos, reseñas
Sumario
Música
Teatro/Danza
cartas
Cine/Video/Televisión
Entrevistas- Diálogos
Servicios
Noticias culturales- archivo
Espacio de autor
Prensa
Artista invitado
Entrevistas
Fichas
Algo de Historia
Blogs de la Revista Archivos del Sur
Cuentos, poemas, relatos

ARCHIVOS DEL SUR

 Inicio | Foros | Participa
Buscar :
Estás aquí:  Inicio >>  Muestras/Arte >>  Um Breve Depoimento por Almandrade
 
Um Breve Depoimento por Almandrade
 

El artista brasilero Almandrade nos envía este texto sobre arte

imagen: Almandrade, objeto "conheca Lautremont",1978
UM BREVE DEPOIMENTO
 
A fala do artista como qualquer fala, não fala do trabalho de arte, insinua um modesto conhecimento que pode apenas facilitar o relacionamento do espectador com a obra. É possível se falar de inúmeros pontos de vista, mas o mais importante é se defrontar com a obra, só o olhar pode tocar na sua “essência”.
A arte é uma forma de conhecimento que exige leituras e reflexões específicas.
Uma obra encerra múltiplas possibilidades de indagação. Recriamos as imagens em nossa percepção, e as modificamos subjetivamente de acordo com nossa experiência de vida. Projetamos sobre elas os nossos valores e nossas inquietações. As obras de arte se completam de formas diferentes na imaginação de cada espectador.
 
O Fazer e o Conceito

"Cabe sempre ao artista fazer de muitas coisas uma só, e da menor parte de cada coisa criar um mundo". (Rilke)
 
Trabalhar com o essencial de elementos plásticos para construir um objeto ou um lugar por onde transita a imaginação e sonha o impossível é uma questão de método. O objeto de arte acrescenta ao mundo uma provocação. Não há outro compromisso que não seja com o belo, entendendo-se o belo como uma idéia reconhecível que ao ser depositada na matéria reprocessada pelo artista, seduz o olhar, a admiração e o pensamento. 
As minhas pinturas e esculturas são pensadas e executadas dentro de um mesmo princípio. A realização de uma única coisa ou criar com o mínimo um mundo. Em pequenos formatos (maquetes e objetos) que sonham em ser grandes, abrigos não habitáveis, arquiteturas do acaso, leves e lúdicas. As esculturas/objetos construídas em série são formadas com peças repetidas que se multiplicam e se diversificam segundo a ordem dos encaixes ou das combinações. Novas posições insinuam novas leituras, novas esculturas. Coloridas, divertidas, não negam uma sintonia com a tradição construtiva e a arte conceitual.
Esculturas que são objetos pintados, planos e formas articulados, ou associação de dois ou três elementos diferentes, como se fossem maquinas, cujo
 
 
funcionamento não sabemos direito. Pinturas que desejam sair da parede e ocupar o espaço como as esculturas. Traço e cor são os poucos elementos que inserem na tela um modelo de pensar a construção da pintura.
 
Coisas diferentes das outras coisas que existem por si mesmas. Aceitar as suas provocações é participar de seu jogo secreto que faz o olhar pensar e brincar.
 
UM  NÃO  LUGAR
Texturas que procuram
uma superfície
vagam
transportam o vazio.
Só a pintura
tem o conhecimento
dos seus efeitos.
Possível abrigo
para a rotina
de um voyeur.
 
Pequenos Formatos
A opção por pequenos formatos nesta mostra se deu, por acaso. Primeiro, em função das dimensões da sala de exposição (pé direito e área da galeria). Segundo lugar, buscar uma intimidade na contemplação. Em tamanhos reduzidos também se reduz a distancia física entre o espectador e a obra, é preciso olhar mais de perto para detectar seus problemas.
Estado de arrebatamento.
No horizonte, o desconhecido.
O sentido
não encontra um porto.
Ausência de discurso,
audácia das trevas.
Região sagrada
onde deus
não encontra a liberdade.
 
A ausência de sentido é um paradoxo e a economia de gestos é uma proposta estética, não simplista mas síntese que faz parte do método do trabalho, cuja leveza e a evidente fragilidade visual convidam o olhar para um confronto no campo da sensibilidade e do pensamento.
 
(c) Almandrade
 
 
Documentos :
Almandrade, imágenes
imágenes para "Um breve depoimento"
Diseño y desarrollo por: SPL Sistemas de Información
  Copyright 2003 Quaderns Digitals Todos los derechos reservados ISSN 1575-9393
  INHASOFT Sistemas Informáticos S.L. Joaquin Rodrigo 3 FAURA VALENCIA tel 962601337